Home » Destaques » Após 1 mês internado, Marcos Hiroyuki sai do coma e já responde a alguns estímulos

Após 1 mês internado, Marcos Hiroyuki sai do coma e já responde a alguns estímulos

“A recuperação neurológica do paciente foi mais significativa do que esperávamos” diz médico responsável pela UTI.

O ano de 2015 começou com ótimas notícias para a família de Marcos Hideaki Iwata, jovem de 34 anos agredido por mais de 10 homens na saída de uma boate em Itaperuna, no Noroeste Fluminense, no dia 29 de novembro de 2014. É que Marcos saiu do coma na última sexta-feira (2) e recebeu alta da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). Marcos está internado há 37 dias no Hospital São José do Avaí e ficou em coma durante 34 dias.

img-20141204-wa0003_1 (1)
Foto mostra vítima consciente após as agressões em saída de boate em Itaperuna (Foto: Arquivo Pessoal/Leonardo Nobuaki Iwata)

 

“Estamos muito animados com a recuperação do Marcos. Ele tem aberto um pouco os olhos, aperta a nossa mão e responde aos estímulos. O lado esquerdo do cérebro dele foi inexplicavelmente recuperado. Os médicos tinham dito que já havia necrosado. Três semanas depois a tomografia mostrou que a parte, até então necrosada, estava se recuperando”, contou entusiasmado um dos irmãos de Marcos, Alexandre Iwata.

De acordo com o médico responsável pelo tratamento na UTI, Dr. Márcio Pereira Junior, a integridade do tecido cerebral mostrou-se maior do que se previa. “A recuperação neurológica do paciente foi mais significativa do que esperávamos. Ele segue internado, mas já foi para o quarto onde recebe atendimento com fisioterapeutas e fonoaudiológicos. Ele saiu do coma e desperta por alguns momentos”, disse.

De acordo com o delegado responsável pelas investigações, Henrique Lobato, o inquérito sobre o crime está sendo concluído e deve ser encaminhado nos próximos dias para o Ministério Público (MP). “Estamos apurando o caso para poder esclarecer a dinâmica dos fatos. As imagens das câmeras de segurança estão sendo confrontadas e a investigação consumada”, explicou.

O advogado da família, Samir Caldeira, disse que o que se sabe é que a princípio algumas pessoas foram ouvidas. “Sabemos que quatro pessoas moradoras de Porciúncula foram chamadas e outras de Itaperuna. Esperamos ter acesso a esses depoimentos em breve”, contou.

                                                                  Fonte: Letícia Bucker Do G1 Norte Fluminense

Veja também

Aves ornamentais: Embelezam e são um bom negócio

A criação de aves ornamentais, como a Sedosa do Japão, que antes encarada como hobby, …

Porciúncula e a festa da vitória de Bolsonaro

A vitória de Jair Bolsonaro foi comemorada em Porciúncula na Praça Antonio Amado. Uma grande  …

11 de setembro 2001- A maior tragédia americana

No dia 11 de setembro de 2011, o mundo assistiu assombrado o que seria o …