Home » Destaques » Energia volta a ficar mais cara à partir de segunda-feira

Energia volta a ficar mais cara à partir de segunda-feira

Aneel aprovou nesta sexta (27) mais um reajuste na tarifa e na taxa extra da bandeira tarifária. Este reajuste não valerá para os consumidores da Ampla, concessionária que atende  no interior do estado, visto que seu percentual de reajuste ainda não foi  calculado, o que deve ocorrer, ainda em março.

unnamed3

Com um reajuste médio de 23,4% à partir da próxima segunda-feira (2), o consumidor brasileiro já se prepara para o novo aumento nas contas de energia elétrica, quando começa a vigorar a revisão extraordinária aprovada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) nesta sexta-feira (27).

A Aneel autorizou o reajuste das tarifas de 58 das 63 distribuidoras de energia do país. Os cerca de 1,2 milhão de consumidores da AES Sul, que atende em 118 cidades do Rio Grande do Sul, terão o maior reajuste, de 39,5%.

Entre as maiores distribuidoras, os reajustes mais altos serão da Copel (36,4%), que atende a clientes no Paraná, da Eletropaulo (31,9%), que atua em São Paulo, e da Cemig (28,8%), que atende a consumidores de Minas Gerais.

A Ampla, que atende cidades do interior do Rio de Janeiro, vai ter os reajustes ordinário e extraordinário aprovados juntos, ainda no mês de março, por isso não consta da lista divulgada pela Aneel nesta sexta.

Também começam a valer à partir de segunda-feira, (02),os novos valores da taxa extra das chamadas bandeiras tarifárias, cobradas nas contas de luz quando há aumento no custo de produção de energia no país.

Como em consequência da estiagem está mais cara a geração de energia no país, o governo determina que a cobrança seja na tarifa de bandeira vermelha, que implica em um acréscimo de  R$ 5,50 para cada 100 kWh (quilowatts-hora) de energia consumidos, aumento de 83,33% em relação aos R$ 3 cobrados entre janeiro e fevereiro.

Como as revisões tarifária são aplicadas quando há risco de desequilíbrio nas contas das distribuidoras, considera-se inevitáveis mais aumentos nas tarifas de energia ainda este ano.

Fonte: G1

 

Veja também

Conta de luz residencial pode subir mais 9%

Se liminar for concedida, conta de luz residencial pode subir mais 9% e cerca de …

Governo deve vetar reajuste das aposentadorias

Governo esperava apenas manter a política de reajuste do salário mínimo entre 2016 e 2019, …

Mesmo com queda nas vendas, montadoras aumentam preços

Queda nas vendas e pátios lotados não inibem montadoras que reajustam preço dos veículos novos …