Home » Destaques » Goiânia: Enterrados os corpos dos estudantes mortos

Goiânia: Enterrados os corpos dos estudantes mortos

O pai de um dos estudantes mortos em escola em Goiânia , disse que perdoa e espera que a sociedade também perdoe o adolescente que tirou a vida do filho dele

Os corpos dos estudantes João Pedro Calembo e João Vitor Gomes, ambos de 13 anos, mortos por um colega na escola, foram enterrados neste sábado (21) em cemitérios de Goiânia.

O sepultamento de João Pedro ocorreu às 10h45 no cemitério Memorial da Saúde. O pai dele, o publicitário Luciano Marcatti Calembo disse que perdoa, e espera que a sociedade também perdoe o adolescente que tirou a vida do filho dele e do colega de sala, João Vitor. Durante o velório, o publicitário pediu que todos os pais “cuidem de seus filhos”

“Falo como pai do João Pedro, de uma criança que perdeu a vida. Eu espero que toda a sociedade e os pais dele e os outros pais o perdoem. Temos que perdoá-lo”, disse.

O sepultamento de João Pedro, de 13 anos, um dos estudantes mortos em escola em Goiânia, ocorreu às 10h45 no cemitério Memorial da Saúde. Foto: TV Anhanguera

O ataque

O ataque ocorreu por volta das 11h30. A arma usada foi uma pistola que pertencia à mãe do adolescente, que é policial militar. O jovem disse que achou a pistola escondida em um móvel da casa. Nem a mãe nem o pai, que também é policial militar, ensinaram o adolescente a atirar.

Ao retirar a arma da mochila para começar o ataque, ele chegou a efetuar um disparo acidental, mas não se feriu. O disparou assustou a todos e, então o adolescente se dirigiu ao colega que ele identificava como seu desafeto e atirou. O estudante tinha 13 anos e morreu no local. No depoimento, o autor dos disparos narrou que tinha intenção de matar apenas o colega que o “amolava”, mas no momento do ataque, diante do desespero das pessoas e também abalado, continuou atirando. A segunda vítima fatal, que faleceu no local, era seu amigo.

O adolescente disse que vivia em conflito com uma das vítimas fatais da tragédia. “Ele me amolava muito”, comentou. Foto: Divulgação

As vítimas

Os dois estudantes que morreram no local do ataque tinham 13 anos. Um dos jovens, segundo o autor dos disparos, era quem praticava o bullying contra ele. Os quatro feridos, que continuam internados. A adolescente Isadora de Morais, de 13 anos, segue internada em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Urgências da cidade. A menina, que foi ferida na mão, no pescoço e no tórax, teve os dois pulmões perfurados. Segundo informações do hospital, ela passou por uma cirurgia e está sedada e intubada para drenagem torácica bilateral.

Lara Fleury Borges, de 14 anos, está internada na enfermaria do Hospital dos Acidentados em estado estável e respirando espontaneamente. Já, Marcela Rocha Macedo, de 13 anos, que também foi baleada no tórax, teve o pulmão esquerdo perfurado, passou por cirurgia e está internada na enfermaria. Paciente está consciente e respirando sem aparelhos. Yago Marques, também de 13 anos, foi atingido no tórax com menor gravidade e não será preciso passar por cirurgia. Ele respira normalmente. 

Fonte: O HOJE.com