Home » Destaques » Koluna do Kalango: EGOÍSTAS, EGOCENTRISTAS E O TRÂNSITO

Koluna do Kalango: EGOÍSTAS, EGOCENTRISTAS E O TRÂNSITO

 

image867

 

 

Hoje vou falar de comportamento… a opinião pode parecer um tanto pessoal, mas é como um repórter cobrindo um acontecimento, ele dará a notícia baseado no que ele viu, ou seja, sua opinião pessoal.

Desde quinta-feira 20/01, resolvi reiniciar minhas atividades físicas e passei essa semana buscando alternativas de percursos para alternar no dia a dia e ao fazer isso, resolvi também observar como pedestre o comportamento… ou mau comportamento dos motoristas, motociclistas, ciclistas, pedestres, etc…

De uma forma geral pude ver um egoísmo imenso em cada um deles… vale ressaltar, antes de seguir o assunto “trânsito” dizer que Itaperuna, assim como Porciúncula, são cidades que não controlam as obras particulares e calçadas, pois fazem o que querem, de acordo com a vontade de cada um e se contestados berram falando de direito, disso e daquilo…

André Oliveira
André Oliveira

Caminhar nas calçadas é uma verdadeira prova de obstáculos de tanta inclinação, sobe, desce… isso fora veículos ocupando espaço de pedestres. Temos que orar aos céus todos os dias, para que não tenhamos nunca dificuldade de locomoção, pois cadeira de rodas em lugares assim, só serve mesmo para sentar… afinal, de que adianta rampa na calçada se a rua é de paralelepípedos?

Quem faz a rampa deve gastar 2 sacos de cimento a mais e fazer a faixa de travessia… ou não? Mas isso já é outra história, pois secretários de governo não são escolhidos por competência e conhecimento na área, e sim, por ter feito campanha junto e isso acontece em todos os partidos e governos.

Bom… voltando ao trânsito, fora os obstáculos que disse, a pessoa ainda precisa de disputar espaço com os estressados… se você está atravessando a rua, o carro ou moto que vem, ao contrário de diminuir, buzinam e alguns ainda te xingam literalmente.

No trevo da Unig, os ônibus circulares de Itaperuna entram reduzindo em cima da hora de entrar, com freada brusca.. (pode correr para a lateral, porque o motorista parece não te ver, ou não gostar de sua presença ali…)

Motos ultrapassando pelo acostamento são inúmeras e alguns, ainda sinalizam para você sair da frente. Entre os radares, todos aceleram o que podem até o próximo, que sinaliza e fiscaliza 50Km/h… nem parece que a multa de ultrapassagem em local proibido hoje custa quase 2 mil reais.

Na primeira oportunidade, partem como bólidos em busca de ultrapassar… a maioria infratora só muda o comportamento em frente a Faculdade Redentor onde fica uma patrulha da PM e assim passam como comportados condutores exemplos da retidão e da moral.

Apesar da tensão, pude concluir que ainda é melhor do que caminhar pela cidade, pois ali sim o bicho pega. Em rua de mão única, você olha para o lado do fluxo para atravessar e quando coloca o pé na rua é quase atropelado por um ciclista pela contra mão, que ainda te manda olhar por onde anda… sem contar pelo calçadão central da cidade, onde ciclistas se multiplicam em zig zag e é nesse momento, que eu queria ser um drone ou algo assim.

Em Porciúncula, nas esquinas das calçadas, o risco de ser colhido por bicicletas é enorme também… (faixa de pedestre por aqui é só mesmo para gastar tinta)

Você acha que acabou? Claro que não… como disse, tem os carros que estacionam nas calçadas, os pontos de ônibus que avançam em acostamentos onde não existe calçada e os motoristas não estão nem aí para quem está a pé… (parece até que a gente tem culpa do cara trabalhar dirigindo ônibus…), isso tudo acontece, porque tem muito pedestre folgado e acaba irritando os que dirigem algum veículo.

Em Porciúncula, por exemplo, é comum ver verdadeiras convenções de pedestres ou ciclistas no meio da rua batendo papo e quem vem dirigindo, que desvie se quiser… e quando a gente está tranquilo na calçada e vem alguém com cachorro… o animal já começa a ficar inquieto de olhar pra você e o(a) dono(a) vai dizendo: “ele não morde não!”… eu é que não vou conferir, pois o bicho não tem culpa da falta de educação do dono.

No domingo último, passei por uma ótima, quando uma senhora com um cachorro grande, que quase não aguentava puxar, me disse para ir para o meio da rua porque seu cão era estressado… ( e ainda o “bichinho” estava deixando suas necessidades na calçada para alguém pisar…) O que fazer em uma situação assim? Nada, pois se reagir vai ter no mínimo um bate boca desagradável… e caminhar é para relaxar e não para estressar… portanto, depois de analisar durante esses dias, cheguei a conclusão de que as pessoas estão cada vez mais egoístas e se sentem donas do mundo.

Parece que cada um reivindica seu espaço pessoal de 8.515.717Km². O estresse começa cedo e não podem sair da zona de conforto… pois é… não consigo enxergar outras palavras que não sejam EGOÍSMO e EGOCENTRISMO… elas definem bem o comportamento humano nessas situações e enquanto isso, só gostaria mesmo de poder ser um pedestre sem sustos e sobressaltos… só isso!

Em tempo, gostaria de fazer uma observação… caminhando pelas ruas de Itaperuna e Porciúncula tenho a impressão de estar no Estado do Espírito Santo, pois as placas dos veículos são de Guaçuí, Dores do Rio Preto, Guarapari, Piúma, etc etc etc… será que os donos reclamam da corrupção ou são adeptos do ditado “faça o que eu mando, mas não faça o que eu faço”?

Sei não… mas não acho que adianta impeachment municipal, estadual ou federal se aqui fora ninguém dá exemplo… a coisa está tão feia no quesito honestidade, que quando alguém devolve dinheiro que achou na rua, aparece a noite no Jornal Nacional.

Um abraço a todos e até quinta-feira se Deus quiser!

Veja também

Executivo e Legislativo de Natividade se reúnem com Polícia Militar

Entre os assuntos discutidos estão as formas de combate a recentes furtos e assaltos no …

Koluna do Kalango: CADÊ A ÁGUA QUE ESTAVA AQUI?

  Olha eu aqui outra vez e dessa vez, muito preocupado, pois o que até …

Koluna do Kalango: BBB, BUNDAS E SIMILARES

Até tentei, não posso deixar de falar sobre o Big Brother Brasil que começou na …