Home » Destaques » Niterói, nossa “segunda casa”, completa 444 anos

Niterói, nossa “segunda casa”, completa 444 anos

Niterói, a “Cidade Sorriso”, considerada a segunda casa de muitas famílias de nossa região, fez mais um aniversário
Em homenagem a nossa querida Nikity, onde muitos do Noroeste Fluminense e da Zona da Mata Mineira escolheram para tentar uma vida melhor, publicamos algumas fotos atuais, assim como um bem humorado texto falando sobre o niteroiense.
Para começar esta homenagem, uma curiosidade: Muita gente fala, mas não sabe o porque do apelido de Niterói ser Nikity.
Segundo consta, ele se deve a grafia anterior do nome da cidade, que era Nictheroy.
Saiba um pouco mais da cidade
 Niterói foi a capital estadual, como indicado pela coroa mural dourada em seu brasão, exclusiva de capitais, entre 1834-1894 e novamente entre 1903-1975. Hoje, ela tem uma população estimada em 511 786 habitantes, segundo os dados do IBGE.
A cidade ostenta orgulhosa o mais elevado Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) do Rio de Janeiro e o sétimo maior entre os municípios do Brasil (Dados de 2010)
Individualmente, é o segundo município com maior média de renda domiciliar per capita mensal do Brasil e aparece na 13ª posição entre os municípios do país segundo os indicadores sociais referentes à educação.
Foi capital estadual fluminense até a fusão entre os estados do Rio de Janeiro e da Guanabara em 1974.
Niterói possui o melhor índice de desenvolvimento humano do Estado e o terceiro do país de acordo com estudo feito pela Fundação Getúlio Vargas em junho de 2011,[17] que também classificou Niterói como “a cidade com população mais rica do Brasil”, por possuir 30,7 por cento dela inserida na classe A.
Niterói está entre as cidades mais alfabetizadas do Brasil, além de apresentar a menor incidência de pobreza, a população com maior renda mensal per capita e o maior índice de longevidade municipal do Estado do Rio de Janeiro.
Veja algumas imagens atuais da nossa querida Nikity:
ICARAÍ
Praia de Icaraí – Niterói. foto: Divulgação

Ruas arborizadas e limpas, prédios de alto padrão, brisa da Baía de Guanabara e vista privilegiada do Rio de Janeiro, fazem de Icaraí um dos bairros mais especiais e nobres de Niterói. O bairro fica situada na margem oposta às praias do Flamengo e de Botafogo, na orla do Rio

 

ITACOATIARA

Itacoatiara é um pequeno bairro eminentemente residencial com casas em sua maioria de classes média e alta utilizadas em grande parte como casas de veraneio.

A praia de Itacoatiara é considerada uma das melhores do Brasil. Reserva uma beleza pura e límpida, tornou-se uma praia perfeita para famílias e também para aventureiros, que são amantes de trilhas e boas ondas. A praia de Itacoatiara é cercada por paredões rochosos, areia branquíssima com água esverdeada.

Praia de Itacoatiara, vista do Costão. Foto: Divulgação

MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA

Museu de Arte Contemporânea de Niterói, Rio de Janeiro, Brasil Foto: Divulgação

O Museu de Arte Contemporânea de Niterói foi inaugurado em setembro de 1996 e logo se tornou símbolo desta cidade da região metropolitana do Rio de Janeiro. O projeto arquitetônico é de Oscar Niemeyer. Entre a elaboração e construção, a obra levou cinco anos para ser concluída.
Localizado de frente para a Baía de Guanabara, sua estrutura de concreto armado em forma de cálice tornou-se um dos marcos do trabalho do renomado arquiteto.

ESTAÇÃO DAS BARCAS

Estação das barcas Praça Arariboia- Niterói. Foto: Diego Baravelli

Localizada na região de interesse turístico da cidade de Niterói denominada “Caminho Niemeyer”, a nova Estação Praça Arariboia está em reforma. Atualmente, está em operação o primeiro salão de embarque totalmente refrigerado e com o dobro da capacidade do antigo. Com o segundo salão de embarque, previsto para ser inaugurado em 2014, a capacidade de abrigar passageiros será elevada para 8 mil passageiros, proporcionando mais conforto aos usuários da linha Praça XV-Praça Arariboia-Praça XV.

PLAZA SHOPPING

Para quem mora ou visita a cidade, o Plaza Shopping é um passeio obrigatório. Localizado na Rua Quinze de Novembro, 8 – no Centro, o point local conta com mais de 300 lojas e restaurantes exclusivos, além do primeiro complexo de cinemas da cidade, da rede Cinemark, com tecnologia 3D e sala XD, que traz tela maior e som mais potente do que as salas convencionais.

O Plaza, primeiro shopping de Niterói, foi inaugurado em outubro de 1986 e é o maior e mais completo centro de compras da região.

Plaza Shopping Niterói, no centro. Foto: Divulgação
CENTRO – AV. AMARAL PEIXOTO
Avenida Ernani do Amaral Peixoto, a via mais importante do município. Foto: Divulgação

A Avenida Ernani do Amaral Peixoto, é uma das principais vias urbanas do centro da cidade de Niterói e foi construída aos moldes da Av. Presidente Vargas, do Centro do Rio de Janeiro.

Ela ainda é o atual centro financeiro de Niterói e reúne um conjunto de edificações que ajudam a contar a história da cidade e de sua expansão ao longo dos anos.

A abertura da Avenida Amaral Peixoto, como é mais conhecida, foi iniciada em 1942, sendo considerada um marco no processo de modernização da cidade. Somente em 1950 completou-se toda a avenida, chegando à Av. Marquês do Paraná.

A Avenida Amaral Peixoto abriga a Praça da república, um conjunto formado por praça e pelos edifícios públicos de arquitetura eclética tombado pelo patrimônio histórico, construído para abrigar o centro cívico do antigo estado do Rio de Janeiro, hoje todos abrigam espaços culturais – composto atualmente pela Câmara Municipal de Niterói,Biblioteca estadual de Niterói, o antigo Tribunal de Justiça (atual  Centro de Memória Judiciária de Niterói), Liceu Nilo Peçanha e o monumento Triunfo a República.

 

BARCAS RIO X NITERÓI

As antigas barcas foram substituídas para o trajeto Rio x Niterói. Foto: Divulgação

A travessia diária de barca, do Rio para Niterói e vice-versa, é uma rotina que milhares de pessoas fazem todos os dias, quando veem à trabalho, estudo, ou para outros afazeres em ambas as cidades.

Antes da construção da Ponte Rio-Niterói, na década de 1970, à única forma de atravessar a Baía de Guanabara para atingir uma destas duas cidades era pelas barcas de transporte de passageiros do tipo Ferry-Boat ou Catamarãs, algumas mais antigas se assemelham a enormes balsas ou barcaças.

O romantismo das antigas barcas foram substituídos por mais segurança. Foto: Divulgação

Este tipo de barca ainda é muito usadas nos dias de hoje, como uma excelente solução de transportes para muitos. As barcas são novas e modernas, embora ainda existam algumas mais antigas que foram reformadas e renovadas.

Antes da construção da ponte, para viajar de automóvel ou de ônibus para Niterói era preciso dar uma enorme volta contornando os fundos da Baía de Guanabara, o que era impraticável para visitas e viagens diárias à ambas as cidades.

 

O TEXTO:
Um bem humorado texto, sem autoria divulgada, descreve bem o niteroiense (de nascimento ou de opção). Vamos a ele:
Malandragem de Nikity:
Niteroiense que é niteroiense adora falar que Niterói é a cidade sorriso, apesar de nem saber muito bem o porquê disso.

Niteroiense que é niteroiense vai à praia em Itacoatiara quando está solteiro, em Piratininga e Camboinhas quando está com a família e não bota o pé em Itaipu, porque só da gente “bonita”.

Niteroiense que é niteroiense já curtiu a festa à fantasia do antigo “Coquetel”, já colocou sapato só para entrar no falecido “Barthô”, lembra dos shows de rock e da pista de skate do finado “Bedrock”, dos outros shows da Cantareira e do Convés. E nega até a morte, mas já foi na República da Banana. E mais de uma vez.

Niteroiense que é niteroiense come no Mattinata de dia e no Bolota de madrugada. Fica puto sempre que tenta ir ao Outback. E já foi em aniversário no rodízio do Seven Grill.

Niteroiense que é niteroiense tem o maior orgulho do M.A.C, mas nem lembra a última vez que visitou. Foi na Fortaleza de Santa Cruz e na Biblioteca Municipal, mas só em passeio do colégio. Já curtiu a festa de Itaipu, de Jurujuba e a da Boa Viagem.

Niteroiense que é niteroiense já ouviu que Niterói tem 7 mulheres para cada homem. Que a praia do Sossego ia ser praia de nudismo. Também já ouviu da Kombi que pega criança e lembra como se fosse hoje de quando a Mãe Dinah previu que o Plaza Shopping ia cair.

Aliás, niteroiense que é niteroiense acha que Niterói só tem um shopping. E chama de Plaza, não de Plaza Shopping. Niteroiense não gosta do Multicenter, porque não tem nada e nunca vai ao Bay Market, que aquilo lá também só da gente “bonita”.

Niteroiense que é niteroiense solta a voz no trecho “ou em Niterói” da música do Claudinho & Bochecha que diz; “… na praça da Playboy, ou em Niterói”. Também sabe cantar o jingle: “… é mesmo um caso de amor, desses que ninguém destrói…”

Niteroiense que é niteroiense torce pela Viradouro. Viaja no carnaval para a região dos lagos. Conhece algum global ou cantor famoso que nasceu na cidade. Adora a Pizza do Queen’s e o sorvete do Lido.

Niteroiense que é niteroiense já ficou parado no engarrafamento da ponte, já enfrentou a multidão para pegar a Barca e já foi para noitada na Lapa e voltou de madrugada no 100.

Niteroiense que é niteroiense vai de chinelo. Diz que é o carioca evoluído. Tem dialeto próprio e fala “de fulano”, ao invés de “do fulano”, fala “cafifa” e não pipa, fala “noitada” e não night, muito menos balada. Come “Italiano” com suco. Vai no Bloco das Piranhas no dia 31 de dezembro e na Banda no Ingá uma semana antes do carnaval.

Niteroiense que é niteroiense só aceita que o gentílico de Niterói seja assim: NITEROIENSE. (Fluminense é a puta que pariu).

Niteroiense que é niteroiense tem a manha da malandragem de Nikity. E sabe: Niterói somos eu, você e alguém que a gente conhece.

AMO DEMAIS MINHA CIDADE!!! PARABÉNS NITERÓI POR MAIS UM ANIVERSÁRIO!!!
Parabéns #Niterói 👏👏👏👏👏

Autoria desconhecida.

Fonte principal de pesquisa: Wikipédia

Val Oliveira