Home » Destaques » Resgatado professor que se perdeu no Pico da Bandeira

Resgatado professor que se perdeu no Pico da Bandeira

Professor universitário que ficou perdido durante quatro dias no Pico da Bandeira no Espírito Santo é regatado. 

 

O professor foi encontrado do lado capixaba e, segundo os militares de Manhuaçu, na Zona da Mata, ele estava consciente, caminhando sozinho e bem alimentado

 

Ele foi resgatado nesta quinta-feira (13).Depois de quatro dias de busca, o professor universitário Antônio Teodoro Dutra Júnior, de 43 anos, que estava desaparecido desde o último domingo (9)  foi encontrado nesta quinta-feira (13). Ele desapareceu durante uma trilha no Pico da Bandeira, no Parque Nacional do Caparaó, na divisa entre Minas Gerais e o Espírito Santo.

O professor foi encontrado do lado capixaba e, segundo os militares de Manhuaçu, na Zona da Mata,  ele estava consciente, caminhando sozinho e bem alimentado. Ainda não está esclarecido o que aconteceu com ele. Ele apareceu em fotos junto com os socorristas, aparentando estar bem.

Assista o vídeo do site Aqui Notícias:

O professor Antônio saiu no sábado (8) junto com um amigo para realizar uma trilha e se perdeu. Foto: Lucas Schuina

Segundo os bombeiros, ele teve muita resistência já que está fazendo um frio abaixo de zero no pico e ele sobreviveu com pouca comida e água. O professor foi levado para uma central de atendimento médico do Corpo de Bombeiros e depois deve ser encaminhado para Minas.

O professor estava acostumado a fazer trilhas e já foi da Força Aérea Brasileira (FAB) de Lagoa Santa, na região metropolitana de Belo Horizonte. Antônio saiu no sábado (8) junto com um amigo para realizar uma trilha. Eles se juntaram com um grupo de cerca de 38 pessoas e ele acabou desaparecendo.

““Ele estava com um grupo de 38 pessoas de uma excursão da Igreja Presbiteriana. O último a conversar com ele foi o Leonardo (o amigo que saiu junto com o professor para a trilha), por volta das 3:30 de domingo, momento em que pequenos grupos formados pelos caminhantes pararam para descansar e comentaram a dificuldade da trilha, frio, barro e cansaço da turma. Leonardo relata que apenas 3 dos 38 chegaram ao cume. A visibilidade horizontal era de cerca de 10m e várias pessoas que estavam subindo por volta das 5:30 desistiram e retornaram”, informaram os bombeiros.

Números de desaparecidos aumentam em junho e julho 

Em janeiro de 2016, os Bombeiros registraram 20 casos de pessoas desaparecidas, Em junho e julho, esse número subiu para 40.  Este ano, apesar de ainda não termos os números desses dois meses, a tendência é de que tenhamos grandes registros também.

 

Fonte: O Tempo / Por NATÁLIA OLIVEIRA  – Fotos: Lucas Schuina