Home » Destaques » Se votação de impeachment fosse hoje, Dilma ficaria no poder

Se votação de impeachment fosse hoje, Dilma ficaria no poder

Para que não fosse cassada, a presidente precisaria de 172 votos. Hoje, os analistas acreditam que Dilma teria 258 votos dos 513 deputadosCaso a votação sobre o impeachment no plenário da Câmara acontecesse agora, Dilma continuaria a ser a presidente do Brasil. Essa é a análise de líderes dos 17 maiores partidos da Casa, ouvidos nesta quinta-feira (03) pela reportagem do jornal O Globo.O levantamento revelou que votariam a favor de Dilma 258 dos 513 deputados. Esse número representa que a petista tem 87 votos a mais do que o necessário para se manter no poder. Porém, ainda que os números estejam a favor de Dilma, um dos deputados ouvidos afirmou que a situação é volátil.

AAg1Vah
Se a votação fosse hoje, a presidente Dilma escaparia do impeachment com certa tranquilidade. Foto: Divulgação.
Caso a votação sobre o impeachment no plenário da Câmara acontecesse agora, Dilma continuaria a ser a presidente do Brasil. Essa é a análise de líderes dos 17 maiores partidos da Casa, ouvidos nesta quinta-feira (03) pela reportagem do jornal O Globo.O levantamento revelou que votariam a favor de Dilma 258 dos 513 deputados. Esse número representa que a petista tem 87 votos a mais do que o necessário para se manter no poder. Porém, ainda que os números estejam a favor de Dilma, um dos deputados ouvidos afirmou que a situação é volátil.Os cálculos dos líderes partidários são o seguinte: a oposição votará toda a favor do impeachment – ou seja, 99 votos que viriam do DEM, PSDB, Solidariedade e PPS. Das legendas que fazem parte da base da presidente, PT, PCdoB e PDT já se posicionaram contra o impeachment. PSOL e Rede afirmaram que devem caminhar também nessa direção, garantindo 100 votos para Dilma.A dúvida que ainda paira é sobre o PMDB, partido do presidente da Câmara, Eduardo Cunha. Leonardo Picciani, líder do partido na Casa, foi reticente ao falar de números. Porém, revelou: “Eu diria que 60% dos peemedebistas são contra o impeachment, 20% a favor e outros 20% indefinidos”.Dos partidos ouvidos, apenas o PRB não quis apresentar nenhum cálculo. A legenda conta com um representando no governo, George Hilton no Ministério do Esporte. No entanto, como lembra a reportagem, a infidelidade é marca recorrente da sigla.
 Os cálculos dos líderes partidários são o seguinte: a oposição votará toda a favor do impeachment – ou seja, 99 votos que viriam do DEM, PSDB, Solidariedade e PPS. Das legendas que fazem parte da base da presidente, PT, PCdoB e PDT já se posicionaram contra o impeachment. PSOL e Rede afirmaram que devem caminhar também nessa direção, garantindo 100 votos para Dilma.

A dúvida que ainda paira é sobre o PMDB, partido do presidente da Câmara, Eduardo Cunha. Leonardo Picciani, líder do partido na Casa, foi reticente ao falar de números. Porém, revelou: “Eu diria que 60% dos peemedebistas são contra o impeachment, 20% a favor e outros 20% indefinidos”.

Dos partidos ouvidos, apenas o PRB não quis apresentar nenhum cálculo. A legenda conta com um representando no governo, George Hilton no Ministério do Esporte. No entanto, como lembra a reportagem, a infidelidade é marca recorrente da sigla.

Fonte: MSN

digitalnet-300px digitalnet-e1442072359157

 

Veja também

Convenções partidárias serão entre 20/07 e 5/08

Eleições Municipais 2016: confira as datas para convenções partidárias e registros de candidaturas A Reforma …

Coluna do leitor: Política Nossa de Cada Dia

Olá amigos e amigas, hoje falaremos sobre política. Há algo de muito errado no sistema …

Prazo para filiação partidária termina em 2 de outubro

Interessados em concorrer a uma vaga no legislativo ou executivo de seus respectivos municípios tem …