Home » Destaques » Zona de Convergência traz mais chuva para a região

Zona de Convergência traz mais chuva para a região

Zona de Convergência causa concentração das áreas de nebulosidade chuva no Sudeste. Muitos locais podem acumular mais de 100 mm em apenas 5 dias

 Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS, na forma abreviada) se organiza sobre o Brasil no decorrer desta semana. A grande cobertura de nuvens que vem sendo observada sobre o Brasil cruzando o país, desde o sul da Região Norte, passando pelo Centro-Oeste, Sudeste e se prolongando pelo mar, na altura do litoral desta Região, e também a chuva volumosa que já caiu entre os dias 18 e 20 de novembro de 2017 em diversas áreas de estados do Sudeste, do Centro-Oeste e do Norte do Brasil são dois indícios de formação da ZCAS.

 

Podemos dizer que esta chuva volumosa e a extensa nebulosidade sobre o Brasil são a parte “visível” da Zona de Convergência do Atlântico Sul. Mas só isto não basta para dizermos que o sistema está se formando. Para que possamos afirmar que a ZCAS está se organizando é preciso que vários fatores meteorológicos envolvendo a circulação dos ventos em diversos níveis da atmosfera sejam observados ao mesmo e de forma persistente, pelo menos por 4 dias consecutivos.

 

É a persistência de uma circulação de ventos especial em vários níveis de altitude que mantém a concentração de umidade (convergência de umidade) para que as grandes áreas de nebulosidade e chuva se formem e permaneçam sobre o Brasil por vários dias consecutivos caracterizando a ZCAS.

 

presença da Alta da Bolívia, sistema de alta pressão atmosférica identificado em torno de 10 mil metros de altitude centrado sobre a Bolívia ou próximo deste país, e de um cavado ou Vórtice Ciclônico em Altos Níveis (VCAN), também a cerca de 10 mil metros de altitude, são condições fundamentais para a formação da ZCAS.

 

Entenda como a ZCAS se forma

 

Na animação das imagens captadas pelo satélite GOES 13 mostra a nebulosidade sobre o Brasil em parte da madrugada e da manhã de 20/11/17. A presença do VCAN pode ser visualizada pela falta de nuvens em parte do Nordeste (entre o Ceará e norte da Bahia) e pela faixa de nuvens que se movimenta no sentido horário saindo do Maranhão e indo para o oceano Atlântico Norte (nuvens na parte mais externa do VCAN).

 

Embora menos perceptível, a circulação da Alta da Bolívia também pode ser visualizada pela movimentação das nuvens no sentido anti-horário que ocorre entre o Mato Grosso, Amazonas, Acre, Peru e a Bolívia.

 

No período de 21 a 25 de novembro de 2017, a estimativa de chuva sobre o Brasil feita em supercomputadores mostra claramente a concentração das áreas de chuva entre o Norte, o Centro-Oeste e o Sudeste. Muitos locais podem acumular mais de 100 mm em apenas 5 dias.

Este padrão de precipitação sobre o Brasil poderá persistir até os primeiros cinco dias de dezembro, com algumas variações de intensidade e de posição sobre o país.

Veja a previsão do tempo para esta terça-feira no Brasil:

Veja a previsão do tempo para esta terça-feira no Grande Rio:

 

Veja a previsão do tempo para esta terça-feira na Região Sudeste:

Fonte: Climatempo / Por Josélia Pegorim

 

 

 

 

Veja também

Frente fria traz muita chuva para parte do Sudeste

Frente fria deve trazer chuva já a partir deste fim de semana, prolongando-se por vários …

Outubro termina com chuva na região Sudeste

A chuva na região Sudeste deve continuar nesta terça-feira. No Noroeste Fluminense, a previsão é …

Calor no RJ pode chegar aos 40°C nesta sexta-feira

O calor no RJ continua. Uma frente fria chega nesta sexta-feira (20)na região, mas só …